Cavernantes

O Caverna Comulot é, provavelmente, um dos blogs mais amadores da internet (amamos nossos fãs!). Bom, deixando de lado os trocadilhos infames, nós sabemos perfeitamente que carecemos urgentemente de diagramadores e de revisores, mas ainda assim continuamos com nossas postagens cara de pau.

Por algum motivo desconhecido, existem seres vivos que gostam da gente, exatamente do modo tosco que nós somos; e por causas obscuras conseguimos conquistar fãs graças à isso (não nos pergunte como!).

Então, enquanto não inserimos em nosso hall de malucos um único diagramador/webdesigner decente, vamos continuar mostrando a cara dessa forma deselegantemente carismática. Dando a oportunidade para que cada um de nossos fanát... digo... leitores conheça um pouco acerca de seus autores (ídolos!).

Obs: Por ordem alfabética, pra não sair porrada aqui!
a_
C.E.I.
Encontrado quando bebê em uma cesta de cebolas, em pleno mercado do Ver-o-Peso, CEI foi adotado por uma padre hemafrodita dissidente do partido nazista alemão. Apesar de sua origem incomum - crê-se que nasceu por geração espontânea - o jovem não se deixou abalar pela criação militarista extremada... e fugiu de casa assim que teve chance.

Na adolescência, após juntar dinheiro vendendo pamonhas recheadas com pilhas Rayovac (para hippies adeptos de alimentos toxicologicamente naturais), viajou pela áfrica central fazendo trabalhos voluntários em reservas de gorilas.

Hoje, formado em Ciências Ocultas, pela Faculdade de Mentirologia Aplicada, é um dos maiores e mais importantes bispos da Igreja Imobiliária do Reino dos Céus. Com seus 14 milhões de fiéis, ao longo do mundo, CEI almeja se tornar um deus utilizando-se de lavagem cerebral e campanhas políticas populistas.

Desocupações: Advogado, assesor jurídico e arroz de festas.
Raça: Loroteiro
Frase: "Pooooowwwwrraaaa..."

COMULOT
Antigo elemental da terra sem o menor pingo de juízo, senso estético e sex appeal. Nasceu nas profundezas das cavernas do mundo de Naroth, iluminadas por fungos fosforescentes - com gosto de camarão à milanesa e refresco de tangerina.

Após ter sido trazido ao Brasil por um grupo de ciganos mambembes, filhos de Raul Seixas, passou a frequentar as melhores cachaçarias e casas de jogos, em busca da iluminação espiritual e de dinheiro fácil. Mas só encontrou ambos vendendo panetones em feiras agropecuárias.

Com uma língua maior do que o cérebro, Comulot pretende tornar-se líder de uma grande rede de supermercados virtuais, focados na venda de artigos para piadas e festas à fantasia. Até lá, ele continuará divertindo seus bilhões de fãs com trocadilhos infames e piadas semi-prontas, usadas exaustivamente ao longa de sua infância.

Desocupações: Engenheiro elétrico, blogueiro e degustador oficial de Cachaças Andinas.
Raça: Macacaense
Frases: "Arroba!"

HADOUKEN
Saído de um jogo de luta de fliperama, de meado dos anos 80, Hadouken fez sucesso durante anos como lutador de rua, ganhando esmolas em troca de sopapos distribuídos em becos sujos. Mas após a decadência deste gênero de jogos, teve que peregrinar pelo país demolindo construções condenadas pela Secretaria de Segurança Pública em troca de moedas.

Durante um bom período de sua vida, atuou como deputado federal pelo estado do Acre, vivendo em meio à sacis e incas venusianos. Lá, fez fama como tocador profissional de berimbau, dando aulas para amantes do esporte brasileiro, dentre eles um filho bastardo de Fidel Castro.

 Atualmente, além de atuar como malabarista de casas noturnas, Hadouken alimenta sua futura família vendendo peças de máquinas de escrever para analfabetos funcionais, nas periferias do Sri Lanka.

Desocupações: Engenheiro da computação, designer de softwares e motorista de amigos.
Raça: Macapauara
Frases: "Será que dá pra desfazer o facão do Kirby?"

HUPISCRATCH
Descendente direto do grande Hurgoga, O Antidiurético, Hupiscratch é - sem sombra de dúvidas - o único discípulo de Pedo Bear que ainda não teve problemas com a Polícia Federal.

Nascido do cruzamento entre um computador que só rodava DOS e um carro de fórmula 1 de controle-remoto, o jovem Hupis descobriu desde cedo que a vida é uma coisa meio fedida e mal temperada, e que o mundo é mais borrachoso do que deveria ser.

Com tal visão de mundo, desprendida de ilusões como "dever cívico", "política da boa vizinhança" e "controle de colesterol", desenvolveu um sentido único para vasculhar inutilidades pela internet e chafundar em sites escritos em línguas mortas há muitas eras. Tal poder lhe rendeu a habilidade única de se comunicar com máquinas.

Atualmente, além de bater altos papos com tostadeiras e ventiladores de 4 velocidades, Hupiscratch  trabalha como operador de tele-marketing (apenas para empresas Vietnamitas desenvolvedoras de cosméticos) e sonha em morar no Japão, onde quer atuar como ator e diretor de grandes produções hentai e fazer bicos de motorista de trem-bala. Seu maior sonho, no entanto, é ser piloto de ekranoplano.

Desocupações: Engenheiro mecânico, estudante de aviação e muambeiro.
Raça: Bicho Papão
Frases: "Calaaaaaada!"

EDUOZZY

Filho de ciganos paraguaios, Eduozzy tentou sua carreira como astro de rock, em bandas de garagens no Alto Xingu. Com o sucesso estrondoso que fez entre os índios e curupiras, juntou dinheiro para alugar uma kitnet na Romênia, com quem dividiu por anos com vampiros emos que brilhavam no sol, enquanto concluia seus estudos sobre o comportamento das focas.


Já adulto (- Ozzy é quase um fóssil vivo! Nossa relíquia no Caverna!), peregrinou pelos mais diversos restaurantes de beira-de-estrada do mundo, em busca de pratos vegetarianos feitos com carne de acelga, gengivas de alho e outras bizarrices.

Atualmente trabalha como escravo para o Caverna, sob o julgo tirânico do Comulot, que o mantém entretido com peças de Lego, pipoca de azeitona e músicas da Europa Oriental.

Seus maiores sonho são: entrar pro Guinness como o maior colecionador de motores de aeromodelos do mundo e abrir uma linha de montagem de armaduras medievais feitas com anéis de latas de refrigerante.

Desocupações: Engenheiro elétrico, fabricante de fraldas e cigano.
Raça: Cigano Paraguaio
Frases: "Sai daí, ô orelha seca!"